Enjoy SmartLeges Premium!

Subscribe to SmartLeges Premium and enjoy the following advantages:

  • Consult as many laws as you need with no additional charge
  • Consult almost any law in several countries with the new advanced search engine. All legislation within reach!
  • Enjoy all SmartLeges functions without restrictions
See the plans

An essential and free application for professionals and students in the legal sector

Read more
 

Sign up for free!

Would you like to consult this and other laws complete?

Sign up for free to consult all the laws of SmartLeges in your mobile phone or tablet, as well as underline text, add notes...

Sign up for free!

Share this law Other laws of Brazil
Email Facebook Twitter Google Linkedin Tumblr

AUTORIZA O GOVERNO PARA EMITIR ATÉ À QUANTIA DE 25.000:00 EM MOEDA CORRENTE, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS

Alteração: de 18-07-1885

Império

COLEÇÃO DAS LEIS DO BRASIL. 1885. PARTE I., P. 9


  • Alteração 18-07-1885

Artigo 1

O Governo é autorizado para emitir até à quantia do 25.000:000$ em moeda corrente, applicavel a auxiliar os Bancos do deposito da Côrte, sob a garantia de titulos da divida publica fundada ou de bilhetes do Thesouro.

O capital é juros pagos pelos Bancos serão destinados ao resgate do meio circulante.

O Governo prestará à Assembléa Geral Legislativa circumstanciada informação do uso que fizer da presente autorização.

Artigo 2

Revogam-se as disposições em contrario.

Mandamos, portanto, a todas as autoridades, a quem o conhecimento e execução da referida Lei pertencer, que a cumpram, e façam cumprir e guardar tão inteiramente, como nella se contem. 0 Secretario de Estado dos Negócios da Fazenda a faça imprimir, publicar e correr. Dada no Palacio do Rio de Janeiro aos 18 de Julho do 1885, 64° da Independencia e do Imperio.

IMPERADOR, corn rubrica e guarda.

Jose Antonio Saraiva.

Este texto não substitui o publicado na CLBR, de 1885

Chancellaria-mór do Imperio. - Affonso Augusto Moreira Penna.

Transitou em 20 de Julho de 1885. - O Director Geral interino, Antonio José Victorino de Barros.